O que é o tão falado K-Lite Nitro?

Entenda a trajetória e o motivo para um dos softwares mais populares do país estar proibido de ser disponibilizado e receber atualizações

25/01/2013
8941 Acessos
Imprimir
O que é o tão falado K-Lite Nitro?
Em 2005, a Cadari T.I. criou o K-Lite Nitro, o primeiro software brasileiro de compartilhamento de arquivos P2P. O programa surgiu a partir de uma modificação do KCeasy, um software open source disponível no site SourceForge e hospedado nos servidores da UFPR (Universidade Federal do Paraná) .

Com a popularização de discos regraváveis, pen drives, HDs externos, cartões de memória e outras infinitas formas de transporte de arquivos, o compartilhamento se tornou algo comum na sociedade. O K-Lite tem por objetivo facilitar essas transferências. Como o programa utiliza a internet para comunicação entre as pessoas que o utilizam, o software é uma alternativa aos métodos comuns que estão disponíveis atualmente, entre eles, Google Drive, DropBox, envio de e-mail com anexos, trocas entre sistemas de mensagens (MSN, Skype...), e outras incontáveis formas de compartilhamento de arquivos.

Assim como o KCeasy, o K-Lite Nitro funciona como uma interface para ajudar os usuários a acessarem a rede de compartilhamento. Não existe um servidor indexador ou hospedam centralizada de qualquer tipo de arquivo, isso porque as pessoas que utilizam o K-Lite fazem papel de usuários e hosts.

Com acesso às redes Ares, Gnutella e OpenFT, o K-Lite funciona como vários programas em um, possibilitando também a comunicação dele com outros softwares similares. Caso uma das redes esteja lenta, ou com problemas para se conectar, o K-Lite não irá deixar de funcionar, apenas irá ignorá-la.

A última versão lançada do K-Lite Nitro foi a 5.1, com interface amigável e toda na língua portuguesa. O programa suporta o compartilhamento de arquivos de até 2GB, em qualquer formato.

O K-Lite está temporariamente indisponível para download em seu site oficial, devido a uma liminar judicial que proíbe disponibilizar o software e, consequentemente, gerar atualizações. A equipe do K-Lite está lutando para reverter essa situação.

Por outro lado, como é impossível ter controle sobre o conteúdo disponível na internet, considerando os casos Cicarelli e Dieckmann, em uma pesquisa no Google, ainda se pode encontrar resultados referentes ao K-Lite Nitro.

Vale lembrar que, mesmo em seu auge, o K-Lite Nitro não estava disponível apenas no site de seu desenvolvedor. Em sites como o Super Downloads e Ziggi Downloads, o K-Lite chegou a ser o software mais baixado, com número de downloads próximo a 10 milhões.

O K-Lite Nitro ainda funciona, porém, como não foram feitas atualizações, alguns problemas surgiram. O software demora muito tempo para se conectar às redes e não é mais possível fazer a ligação com as três disponíveis.

Com isso, o programa que em dois anos conseguiu superar a marca de 30 milhões de acessos mensais está parado no tempo: em uma luta sem sentido contra a indústria da música, aguardando decisões da justiça brasileira.


Qual a sua opinião?